Prof.Dr.Luis Carlos Figueira de Carvalho

Widgets

Translate this Page
POS GRADUAÇÃO
Por que fazer uma pós-graduação?
Melhorar curriculo
Ver Resultados

Rating: 2.8/5 (2290 votos)




ONLINE
2






ESTAFILOCOCOS

ESTAFILOCOCOS

As bactérias do gênero Staphylococcus apresentam coloração Gram-positiva e são consideradas agentes patogênicos para os humanos. Organizam-se em grupos que se assemelham à cachos de uvas, com formas esféricas de cocos.

Os representantes deste grupo são anaeróbios facultativos, vivem muito bem com ou sem oxigênio. Porém, se o meio em que estiverem não fornecer oxigênio e tiver uma temperatura por volta de 37°C, o seu desenvolvimento será potencializado. E é exatamente isso que preocupa muitos pesquisadores: esse desenvolvimento otimizado por uma temperatura equivalente à do corpo humano. Os estafilococos que são patogênicos trazem muitos prejuízos, entre eles está a coagulação sanguínea. Mas podem formar abscessos, supurações e outras infecções que podem evoluir para uma septicemia. As mais importantes espécies são:

  • Staphylococcus aureus
  • Staphylococcus epidemidis
  • Staphylococcus saprophyticus

São organismos fáceis de cultivar, pois não precisam de um alimento específico para isso, apenas que este alimento seja rico em nutrientes.

Outro ponto preocupante é que desde que foram descritas oficialmente, essas bactérias eram sensíveis aos antibióticos. Mas com o uso desmensurado pelas pessoas, seja pela cultura ou pela falta de conhecimento, o potencial real do medicamento foi “banalizado” pela maioria das bactérias que adquiriram resistência. Um exemplo clássico é o da penicilina: quando surgiu, a penicilina se tornou o principal (e para muitas pessoas o único) medicamento no combate das mais diversas mazelas. Foi então que esta substância logo se tornou coloquial e graças à este uso desmedido, as bactérias se tornaram resistentes. E como numa sequência lógica, outros medicamentos foram criados e com o tempo foram também ficando obsoletos. Cepas bacterianas resistentes são mais comuns e mais frequentes em hospitais, cerca de 99%. Já fora desse ambiente o índice é mais baixo, mas ainda preocupante: cerca de 60%.

É quase impossível se defender dos estafilococos, eles estão por toda parte e pela extensão do nosso corpo principalmente. Com isso, a transmissão pessoa-pessoa é inevitável, mas a higiene é necessária para tentar conter uma eventual proliferação agressiva e anormal dos estafilococos.

A intoxicação alimentar é um problema sério, especialmente a causada pela endotoxina estafilocócica termoestável. Ocorre através do consumo de alimentos lácteos (matriz e derivados do leite) contaminados. Mas outros alimentos que são ricos em nutrientes também são o habitat ideal para essas bactérias. A manipulação sem a higiene adequada das mãos é substancialmente um fator determinante para a dissipação dos estafilococos.

Bibliografia:
http://microbiologia.com.sapo.pt/staphylococcus.htm
http://www.portaleducacao.com.br/biologia/artigos/2272/staphylococcus
http://pt.wikipedia.org/wiki/Staphylococcus
http://www3.niaid.nih.gov/labs/aboutlabs/lhbp/pathogenMolecularGeneticsSection/

 
PRÁTICAS

ISOLAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE ESTAFILOCOCOS

 Objetivo: Demonstrar as características morfológicas e propriedades bioquímicas dos estafilococos

Princípio: Morfologicamente apresentam-se nos esfregaços corados pelo Gram em forma de “cachos de uva”, sendo esta uma característica peculiar que os diferenciam dos estreptococos.

Podem ser isoladas com relativa facilidade de coleções purulentas da nasofaringe, lesões de pele e aparelho genital.

Dentre as espécies de estafilococos, sem dúvida alguma o Staphylococcus aureus é potencialmente a espécie mais virulenta, onde, em ágar sangue, geralmente apresenta-se hemolítico.

São vários os métodos de diferenciação das espécies de estafilococos; entretanto, o teste da coagulase é o mais indicado e adequado para a caracterização do S. aureus, visto que somente esta espécie apresenta reação positiva, configurando portanto  esta reação como prova da patogenicidade dos estafilococos.

As outras espécies de estafilococos, denominadas de coagulase-negativa, somente nas últimas décadas têm sido implicadas na etiologia de processos infecciosos. Entretanto, os métodos ordinários de identificação empregados na microbiologia são incapazes de detectar isoladamente as doze espécies coagulase-negativa, ficando restrito o diagnóstico presuntivo ás espécies S. epidermidis e S. saprophyticus.

Material: Placas de ágar-sangue, de Chapman-Stone e ágar DNAse, cultivadas S.aureus de um lado eS.epidermidis do outro lado; Lâmina de microscópio, bico de Bunsen, bateria de corante de Gram, tubinhos (120mm), 2 pipetas de 2ml, 2 tubos contendo 2ml de salina, água oxigenada a 3%, alça de platina, plasma de coelho, Solução  de bromocresol, placa contendo ágar Mueller-Hinton, disco de novobiocina, ácido clorídrico 1N, pipeta Pasteur.

Método:  Observar as placas com cultura bacteriana, anotar as características coloniais e realizar os seguintes testes:

  • Coloração de Gram
  • Prova da catalase:
  • Prova da Coagulase:
  • Fermentação do manitol:
  • Tolerância ao NaCl
  • Sensibilidade a novobiocina

 Coloração de Gram

  • Fazer esfregaços em lâminas e fixar pelo calor
  • Cobrir a área do esfregaço com a solução  de cristal-violeta  por cerca de 1min.;
  • Lavar com água corrente e escorrer o excesso de água;
  • Cobrir a área do esfregaço com a solução de iodo durante cerca de 1 minuto;
  • Descorar a lâmina com a mistura álcool-acetona, até que o solvente escorra incolor;
  • Cobrir o esfregaço com a solução de safranina  por cerca de 30 segundos;
  • Lavar com água corrente;
  • Deixar secar ao ar .

 Os estafilococos são visualizados como cocos Gram-positivos (roxo) isolados e agrupados em forma de cachos de uva

Prova da Catalase

              A catalase presente na maior parte das bactérias atua na reação:

2H2O2    catalase     2H2O + O2

                 Colocar em um tubinho (120mm) 1 ou 2 ml de água destilada, emulsionar quantidade suficiente de colônias de Staphylococcus aureus para obter uma suspensão espessa; acrescentar-lhe 3 gotas de água oxigenada a 3%. Não agitar. O desprendimento de bolhas de gás indica a presença de catalase.

 Prova da coagulase:

                 Enzima que, reagindo com um co-fator existente no plasma de certas espécies (coelho, cavalo, humano), transforma o fibrinogênio em fibrina.

                O co-fator plasmático é indistinguível da protrombina, porém a enzima se diferencia da tromboquinase pois, ao contrário desta última, não requer a presença de íons Ca+2, nem dos fatores 5, 6 e 7 para sua ativação.

                Teste: Misturar 0,5ml de cultura em caldo simples ou de suspensão espessa de estafilococos a 0,25ml de sangue total ou plasma de coelho oxalatado a 0,2% ou citratado a 1%. Leitura após 2 a 4 horas a 37ºC.

                Prova presuntiva em lâmina: Emulsionar homogeneamente uma alça do induto bacteriano em uma gota de salina. Misturar uma alça de plasma e agitar circularmente. Reação positiva: formação de grumos em 2 segundos. Reação negativa será controlada pelo teste em tubo.

 Plasma de coelho 1/5 (para prova de coagulase)

Sol. de citrato de sódio a 3,8%....  2,5ml

Sangue de coelho........   10,0ml

 

Separar o plasma (centrifugar a 2000 rpm durante 20min.), diluir a 1/5 em solução fisiológica.

 Fermentação do Manitol e Tolerância ao NaCl

 Semear a bactéria no meio de Chapman-Stone (item 8.5.15). O meio fornece três respostas: a) pigmentação; b) fermentação da manita – adicionar 1 gota de sol. de bromocresol às áreas de onde se removeram colônias tipicamente pigmentada; c) produção de gelatinase – halo claro em torno das colônias

Sensibilidade à Novobiocina

                Fazer uma suspensão da bactéria em salina estéril. Com swab estéril semear por espalhamento a bactéria sobre o meio de Mueller-Hinton. Colocar um disco de novobiocina no centro da placa. Incubar a 37ºC por24 a 48horas. A leitura é feita pela observação da presença (S) ou não (R) de zona de inibição ao redor do disco.

 Desoxirribonuclease (DNAse)

 

“DNase Test Ágar” (Difco ou BBL) ... 42,0g

Água destilada ................... 1000ml

 Fundir e esterilizar a 120°C, 15 minutos. Distribuir em placas de Petri.

Inocular em pontos definidos, sem estriação. Após crescimento, revelar com solução de ácido Clorídrico 1N. Uma zona transparente em torno do crescimento, após opacificação do ácido nucléico residual pelo ácido clorídrico, indica um teste positivo.

Resultados:

  •  Em ágar sangue as colônias de estafilococos apresentam-se com coloração branca ou amarelada, opacas, cremosas e convexas, sendo que algumas cepas bacterianas produzem  beta-hemólise.
  • O primeiro passo para a identificação presuntiva das  colônias de estafilococos consiste na confecção de um esfregaço e posterior coloração pelo método de Gram, onde este grupo bacteriano apresenta-se agrupado caracteristicamente na forma de .“cachos  de uva”
  • Quando não se consegue a diferenciação entre estafilococos e estreptococos, é recomendável a utilização da prova da catalase.
  • A catalase não é produzida pelos estreptococos, e a prova, que pode ser realizada em lâmina ou em tubo, se positiva, caracteriza a presença dos estafilococos.
  • Após a caracterização de uma colônia como sendo estafilococo, o passo  seguinte consiste em identificar se esta é ou não S. aureus. Como relatado anteriormente, a prova da coagulase é utilizada pela maioria dos  laboratórios para a identificação presuntiva desta espécie.
  • As cepas bacterianas coagulase negativa identificadas pelos métodos ordinários,         S. epidemidis e S. saprophyticus, têm sua diferenciação através da prova de sensibilidade à novobiocina sendo que a maior parte das cepas de S.saprophyticus é  resistente a este antibiótico ao contrário do S. epidemidis  que  mostra-se  sensível.
  • A fermentação do manitol e a prova da desoxiribonuclease já foram muito utilizadas na diferenciação das espécies de estafilococos, entretanto sua utilização atual encontra-se limitada
QUESTÕES

 

1. Após a caracterização de uma colônia como sendo estafilococo, o passo seguinte consiste em identificar se esta é ou não S. aureus. A prova bioquímica utilizada pela maioria dos laboratórios para a identificação presuntiva desta espécie é:
 
a) Catalase;
b) Coagulase;
c) Manitol;
d) Tolerância ao NaCl;
e) Novobiocina

2. As cepas bacterianas coagulase negativa identificadas pelos métodos ordinários, S. epidemidis e S. saprophyticus, têm sua diferenciação através da prova:
 
a) Coagulase;
b) Novobiocina
c) Catalase;
d) Manitol;
e) Tolerância ao NaCl;

3. Em relação a estrutura antigênica dos Staphylococcus aureus, podemos afirmar:
 
a) A proteina A é um componente da parede celular de muitas cepas que se liga a porção Fc das moléculas de IgG;
b) A maioria das cepas possui coagulase ou um fator de aglutinação soro a superfície da parede celular;
c) As reações sorológicas tem utilidade limitada na identificação da bactéria;
d) Algumas cepas possuem cápsulas que inibem a fagocitose pelos leucócitos polimorfonucleares;
e) Todas estão corretas

4. Em relação a estrutura antigênica dos Staphylococcus aureus, podemos afirmar:
 
a) Os antígenos grupos específicos da parede celular é constituidos de carboidratos e formam a base do grupamento sorológico;
b) Na presença de proteína M, as bactérias são virulentas, e, na ausência de anticorpos tipo M-específico, os microrganismos são capazes de resistir a fagocitoses por leucócitos polimorfonucleares;
c) A substância T é ácido-lábil e termolábil e não tem relação com a virulência;
d) A proteina A é um componente da parede celular de muitas cepas que se liga a porção Fc das moléculas de IgG;
e) A maioria das cepas não possui coagulase ou um fator de aglutinação soro a superfície da parede celular.

5. Em relação a peptídeo glicana dos Staphylococcus, considere as seguintes afirmativas:

I - Induz a produção de interleucina 1 e de Acido opsônicos pelos monócitos;  II - Apresenta atividade semelhante a endotoxina;  III -  Pode atuar como quimiotático para polimorfonucleares. Conclui-se que:

a) Somente as afirmativas I e II estão corretas
b) Somente as afirmativas I e III estão corretas
c) Somente as afirmativas II e III estão corretas
d) Somente a afirmativa I está correta
e) Todas afirmativas estão corretas

6. Em relação as infecções por Staphylococcus, podemos afirmar:
 
a) Os carbúnculos são aglomerados de furúnculos que produzem grandes úlceras cutâneas e a formação de cicatrizes;
b) Os carbúnculos evoluem e curam mais lentamente que os furúnculos isolados e podem causar febre e fadiga por se tratar de uma infecção mais grave;
c) Os carbúnculos ocorrem mais freqüentemente nos homens e mais comumente na região posterior do pescoço;
d) Os indivíduos idosos, os diabéticos e aqueles com doenças graves apresentam uma maior tendência a apresentar carbúnculos.
e) Todas estão corretas

7. Em relação as infecções por Staphylococcus, podemos afirmar:
 
a) A foliculite é uma inflamação dos folículos pilosos causada por uma infecção por Staphylococcus.
b) Nos folículos pilosos, ocorre o acúmulo de uma pequena quantidade de pus, o que faz com que eles se tornem irritados e hiperemiados (avermelhados);
c) A infecção danifica os pêlos, os quais podem ser facilmente arrancados;
d) A foliculite tende a se tornar crônica nos locais em que eles se encontram profundamente enraizados na pele (p.ex., na área da barba);
e) Todas estão corretas

8. Em relação as infecções por Staphylococcus, podemos afirmar:
 
a) Os furúnculos são áreas grandes, elevadas, dolorosas e inflamadas causadas por uma infecção por Staphylococcus em torno dos folículos pilosos;
b) Mais freqüentemente, os furúnculos ocorrem no pescoço, nas mamas, na face e nas nádegas e são particularmente dolorosos quando se formam em torno do nariz, das orelhas ou nos dedos;
c) Geralmente, eles eliminam um exsudato esbranquiçado e discretamente sanguinolento;
d) Alguns indivíduos apresentam furúnculos incômodos e recorrentes (furunculose) e, ocasionalmente, ocorrem epidemias de furúnculos entre adolescentes que vivem em bairros populosos e carecem de uma higiene adequada.
e) Todas estão corretas

9. Intoxicação alimentar que produz sintomas gastrintestinais uma a duas horas após a ingestão do alimento é devida mais provavelmente a:
 
a) Salmonella enteritidis;
b) Staphylococcus aureus;
c) Streptococcus faecalis;
d) Clostridium perfringens;
e) Shigella sonnei;

10. O critério usual de laboratório para estabelecimento da patogenicidade do Staphylococcus aureus inclui:
 
a) Fermentação de lactose e maltose
b) Coagulase e hemólise;
c) Produção de pigmento vermelho;
d) Prova do hipurato;
e) DNAse e oxidase;

11. Quais as estruturas na célula do estafilococos e quais as toxinas que protegem a bactéria da fagocitose?
 
a) Parede celular
b) Cápsula e proteína A
c) Lipopolissacarídeos e ácido teicóico
d) Fimbrias e Flagelos
e) Membrana celular

12. Relacione uma coluna com a outra, conforme as características dos fatores de virulência dos Staphylococcus aureus

 

1 - Proteína A

(      ) Producão de fibrina

2 – Catalase

(     ) Proteína antifagocitária

3 – Coagulase

(    ) Lisa depósitos de fibrina

4 - Estafiloquinase

(    ) impede digestão intracelular

5 – Leucocidina

(     ) destrói leucócitos

Resposta: 3 – 1 – 4 – 2 - 5

13. São características gerais dos estafilococos, exceto:
 
a) São cocos Gra-positivos isolados e agrupados em cacho;
b) São bactérias esporuladas
c) São bactérias facultativas;
d) Realizam respiração aeróbica e fermentativa
e) São catalase positivas e imóveis

14. São enzimas estafilocócicas, exceto:
 
a) Coagulase e hemolisina
b) Hialuronidase e catalase
c) Estafiloquinase e Proteinase
d) Estreptoquinase e Eritrogênica
e) Lipases e proteinases

15. São infeccões oportunistas causados por Staphylococcus sp., exceto:
 
a) Osteomielite,
b) Pneumonia,
c) Glomerulonefrite
d) Endocardite
e) Septicemia e meningite

16. São infeccões piogênicas na pele causados por Staphylococcus sp., exceto:
 
a) Foliculite,
b) Glomerulonefrite
c) Furúnculo,
d) Carbúnculo,
e) Terçol

17. São os fatores predisponentes para a infecção por Staphylococcus?
 
a) Defeito quimiostáticos dos leucócitos,
b) Defeito na opsonização dos anticorpos,
c) Defeitos na destruição intracelular bacteriana,
d) Lesões cutâneas e presença de corpos estranhos
e) Todas estão corretas

18. São provas funcionais para caracterização dos estafilococos, exceto:
 
a) Prova da catalase
b) Prova da Coagulase;
c) Bile esculina;
d) Fermentação do manitol;
e) Sensibilidade a novobiocina.

19. São toxinas estafilococcicas, exceto:
 
a) Esfoliativa
b) Eritrogênica
c) Endotoxina
d) Leucocidina
e) Toxina da Síndrome do Choque Tóxico (TSST-1)

20. Staphylococcus aureus causa uma ampla gama de infecções, variando de abscessos à pneumonia. O tratamento com penicilina de infecções por S. aureus frequentemente é complicado pela:
 
a) Incapacidade da penicilina penetrar na membrana de S. aureus;
b) Produção de penicilinase por S. aureus;
c) Produção de penicilina-acetilase por S. aureus;
d) Reações alérgicas causadas pela proteína estafilocócica;
e) Falta do local de ação da penicilina em S. aureus.

21. Staphylococcus aureus pode produzir uma grave intoxicação alimentar resultante da ingestão de:
 
a) Hemolisina;
b) Enterotoxina;
c) Leucocidina;
d) Coagulase;
e) Penicilinase.

 

22. Quais as estruturas na célula do estafilococos e quais as toxinas que protegem a bactéria da fagocitose?

RESP: cápsula e proteína A

23. Quais as enzimas estafilocócicas sugeridas como fatores de virulência? Coagulase,Catalase, Hialunoridade, Lípase, Nucleases, Penicilinase

24. Uma das características dos cocos piogênicos é produzirem  enzimas e toxinas. Complete o quadro abaixo com  exemplos de enzimas e toxinas dos Staphylococcus e Streptococcus

STAPHYLOCOCCUS

STREPTOCOCCUS

Enzimas

Toxinas

Enzimas

Toxinas

Coagulase

Esfoliativa

Hemolisina

Eritrogênica

Hemolisina

Endotoxina

Protease

Estreptoquinase

Catalase

Leucocidina

Hialuronidase

Dnase

Hialuronidase

TSST-1[1]

Estreptolisinas

 

Estafiloquinase

 

 

 

Proteinase

 

 

 

Lipases

 

 

 

 

25. Quais as toxinas implicadas nas doenças estafilocócicas? RESP= toxinas esfoliantes, leucocidina,  toxina da síndrome do choque tóxico, enterotoxina

26 Quais são os fatores predisponentes para a infecção por Staphylococcus ? RESP= Defeito quimiostáticos dos leucócitos, defeito na opsonização dos anticorpos, defeitos na destruição intracelular bacteriana, lesões cutâneas, presença de corpos estranhos

27. Um jovem de 18 anos de idade caiu sobre o joelho enquanto jogava basquetebol. O joelho ficou dolorido, porém não houve solução de continuidade da pele. No dia seguinte, o joelho estava inchado e permaneceu doloroso, de modo que ele foi levado ao Departamento de emergência local. Foi aspirado um líquido claro do joelho, e o médico prescreveu tratamento sintomático. Dois dias depois, a inchação voltou, a dor aumentou e ocorreu eritema no joelho. Como o paciente também se sentiu sistematicamente doente, com temperatura oral de 38,8ºC, retornou à sala de emergência. A aspiração do joelho revelou um líquido turvo e a cultura do líquido e hemocultura foram positiva para Staphylococcus aureus.

a)      Citar duas fontes possível deste microrganismo na situação problema RESP= Bacteria da propria pele e bactéria do chão

b)      Os estafilococos produzem uma variedade de doenças, incluindo a síndrome da pele escaldada estafilocócica, a síndrome do choque tóxico, intoxicação alimentar, infecções cutâneas e endocardite. De que maneira os sintomas clínicos destas doenças diferem da infecção observada neste paciente? RESP=A síndrome da pele escaldada estafilocócica é uma infecção cutânea disseminada na qual a pele descama como se tivesse sido queimada. Certos tipos de estafilococos produzem uma substância tóxica que faz com que a camada superior da pele (epiderme) se separe do resto da mesma. Algumas vezes, as infecções cutâneas causadas por Staphylococcus podem causar a síndrome do choque tóxico, uma condição potencialmente letal.s A síndrome da pele escaldada estafilocócica quase sempre afeta lactentes, crianças jovens e indivíduos com depressão do sistema imune.

c)      Descreva como se procedeu a cultura para o isolamento e caracterização do germe da situação-problema

 

28. Qual a relação que existe entre o glicocálise e infecções por Staphylococcus epidermidis: RESP= A glicocálise é estrutura da parede celular e da cápsula que afeta a opsonização, inibe a quimiotaxia induz a degranulação.

29. Descreva o gênero Staphylococcus com suas características morfológicas, fisiológicas, bioquímica e genética RESP= morfológica: cocos isolados agrupados em cacho; Fisiológica: fisiologia não exigente nutricionalmente, cresce em meio simples a 37C ou 24C, 48Hs; Bioquímica: catalase positivo, tolerância a nel positivo, manitol(positivo) novobiocina (positivo); Genética: DNA tipo circular cromossomal, presença de plasmidios

30. Quais as principais provas funcionais que caracterizam os Staphylococcus e os Streptococcus. RESP= Staphylococcus:coagulase, catalase, tolerância ao NaCl, monitol, novobiocina;   Streptococcus: hemólise, catalase, bile eucalina - bacitracina, opitocina

31. Qual o papel do Staphylococcus epidermidis em infecção associadas a próteses? Qual a propriedade de virulência que ajuda no estabelecimento destas infecções? RESP= Como bactéria faz parte da microbiota normal, coloniza mais facilmente as proteases devido principalmente sua alta capacidade de adesão a mesma.

32. Qual a infecção causada por Staphylococcus saprophyticus? Qual a população mais susceptível a esta infecção?  RESP= Infecção hospitalar, infecção oportunista / + susceptível a infecção: pessoas imunodeprimidas, idosos e  pacientes hospitalizados

33. Um estudante percebe que a amostra de Staphylococcus aureus usada no controle de qualidade e uma amostra de Escherichia coli crescem e produzem uma cor amarela no ágar manitol salino, meio este seletivo para estafilococos. O que o acadêmico pode concluir em relação à preparação do meio de cultura? RESP = O meio não contém cloreto de sódio a 10%, pois somente os Staphylococcus são tolerantes a NaCl.

34. Após a caracterização de uma colônia como sendo estafilococos, um estudante de Farmácia, observou reação positiva nos testes de coagulase, fermentação do manitol e DNAse, bem como resistência à novobiocina. Que conclusão pode tirar? Resp= Trata-se do Staphylococcus aureaus.

35. Faça comentários sobre a síndrome do choque-toxico  RESP A síndrome do choque toxico e uma doença potencialmente fatal, causada por Staphylococcus aureus e uma forma de contaminação do sangue resultante da liberação de toxinas pelas bactérias. Pode ocorrer por ferimentos ou Infecções na garganta, pulmões, pele ou osso. Entretanto e mais comum acometer mulheres em idade fértil principalmente as mulheres que usam absorventes internos (Ob, Tampax, etc.) Estes podem alojar a bactéria e fornecer o meio ambiente para o seu desenvolvimento, principalmente quando o absorventes internos são deixados no local por tempo muito prolongado. Além disso, as fibras superabsorventes de alguns absorventes internos podem causar ferimentos microscópicos na vagina, que permitem transmissão da toxina bacteriana para o sangue. Apesar de não ser comum, a síndrome do choque toxico pode ocorrer após cirugias, incluindo mulheres que foram submetidas a parto cesáreo.

36. Faça comentários sobre as seguintes doenças: impetigo bulhoso, síndrome  do choque tóxico, Síndrome da pele escaldada estafilocócica e Intoxicação alimentar estafilocócica. Resp=Impedigo bulhoso: causado por Staphylococcus Aureaus, que se desemvolvem na pele produzindo lesões com bolhas de gás; Síndrome da pele escaldada: caracteriza-se pelo deslocamento de extensas áreas da epiderme, o que ocorre quando a pele é banhada por água fervente; Intoxicação: Causada pela presença de endotoxina

37. As cepas bacterianas coagulase negativa identificadas pelos métodos ordinários,  S. epidemidis e S. saprophyticus, têm sua diferenciação através da prova: Ä coagulase; Ä catalase; Ä Manitol; Ä tolerância ao NaCl; Ä Novobiocina

38. Faça comentários sobre Foliculite. RESP= A foliculite é uma inflamação dos folículos pilosos causada por uma infecção por Staphylococcus. Nos folículos pilosos, ocorre o acúmulo de uma pequena quantidade de pus, o que faz com que eles se tornem irritados e hiperemiados (avermelhados). A infecção danifica os pêlos, os quais podem ser facilmente arrancados. A foliculite tende a se tornar crônica nos locais em que eles se encontram profundamente enraizados na pele (p.ex., na área da barba). Os pelos rígidos podem encurvar e penetrar na pele, produzindo irritação mesmo sem uma infecção importante.

39. Faça comentários sobre FURUNCULOS. RESP=Os furúnculos são áreas grandes, elevadas, dolorosas e inflamadas causadas por uma infecção por Staphylococcus em torno dos folículos pilosos. Mais freqüentemente, os furúnculos ocorrem no pescoço, nas mamas, na face e nas nádegas e são particularmente dolorosos quando se formam em torno do nariz, das orelhas ou nos dedos. Geralmente, os furúnculos apresentam pus no centro. Geralmente, eles eliminam um exsudato esbranquiçado e discretamente sanguinolento. Alguns indivíduos apresentam furúnculos incômodos e recorrentes (furunculose) e, ocasionalmente, ocorrem epidemias de furúnculos entre adolescentes que vivem em bairros populosos e carecem de uma higiene adequada.

40. Que são carbúnculos? Os carbúnculos são aglomerados de furúnculos que produzem grandes úlceras cutâneas e a formação de cicatrizes. Os carbúnculos evoluem e curam mais lentamente que os furúnculos isolados e podem causar febre e fadiga por se tratar de uma infecção mais grave. Os carbúnculos ocorrem mais freqüentemente nos homens e mais comumente na região posterior do pescoço. Os indivíduos idosos, os diabéticos e aqueles com doenças graves apresentam uma maior tendência a apresentar carbúnculos.

41. Após a caracterização de uma colônia como sendo estafilococo, o passo  seguinte consiste em identificar se esta é ou não S. aureus. A prova bioquímica  utilizada pela maioria dos  laboratórios para a identificação presuntiva desta espécie é: Ä coagulase; Ä catalase; Ä Manitol; Ä tolerância ao NaCl; Ä Novobiocina

42. São provas funcionais para caracterização dos estafilococos: a) Prova da catalase; b) Prova da Coagulase; c) Fermentação do manitol; d) Tolerância ao NaCl; e) Sensibilidade a novobiocina  f) Todas estão corretas



[1] Toxina da Síndrome do Choque Tóxico

Pub

CONSULTORIA ACADÊMICA: 

Professor e orientador para sua vida acadêmica, que propõe dar suporte didático-pedagógico e orientações para que você almeje seus objetivos, de forma prática e rápida.

Existe duas maneiras de chegar a algum lugar. Uma de forma aleatória, com tentativas de acertos e erros; e, outra, orientada e supervisionada por alguém que conhece o caminho das pedras.