Prof.Dr.Luis Carlos Figueira de Carvalho

Widgets

Translate this Page
POS GRADUAÇÃO
Por que fazer uma pós-graduação?
Melhorar curriculo
Ver Resultados

Rating: 2.8/5 (2310 votos)




ONLINE
2






BOTULISMO

BOTULISMO

O termo botulismo é utilizado para designar a intoxicação pelo Clostridium botulinum. O nome provém da palavra botulus (salsicha) em latim, alimento envolvido nos primeiros casos de botulismo, cientificamente comprovados, ocorridos na Europa Central no fim do século XVI.

O botulismo é uma enfermidade resultante da ação de potente neurotoxina de origem proteica produzida pelo Clostridium botulinum, que bloqueia a neurotransmissão em sinapses colinérgicas, causando paralisia simétrica descendente. A doença tem distribuição mundial e acomete pessoas em casos isolados ou causa surtos familiares. É considerado um problema de saúde pública devido a sua gravidade e alta letalidade. De ocorrência súbita, caracteriza-se por manifestações neurológicas seletivas, de evolução dramática e elevada mortalidade.

Center for Diasease Control and Prevention (CDC)classifica o botulismo em quatro categorias epidemiológicas: 1ª) botulismo por intoxicação alimentar; 2ª) botulismo infantil; 3ª) botulismo por lesão e 4ª) botulismo indeterminado ou por colonização intestinal em adultos. Este último é menos comum, sendo semelhante ao botulismo infantil, mas atingindo crianças maiores de um ano de idade e adultos. O botulismo alimentar ocorre pela ingestão da toxina pré-formada, enquanto que nos outros três tipos a enfermidade ocorre pela infecção, multiplicação e produção de toxinas por microrganismos clostridiais em feridas ou no trato gastrintestinal.

Atualmente, são descritos oito tipos de toxinas botulínicas: A, B, C1, C2, D, E, F e G, que se distinguem por suas características antigênicas. Entre elas, os tipos A, B, E e, mais raramente, F são causas de doenças nos seres humanos. O tipo G é pouco conhecido e foi associado a alguns casos de morte súbita2.

As cepas de C. botulinum são classificadas em quatro grupos de acordo com o tipo de toxina que produzem. O grupo I inclui todas as cepas produtoras do tipo A e dos tipos B e F proteolíticas; pertencem ao grupo II todas as cepas com toxina do tipo E e aquelas com os tipos B e F não-proteolíticas; cepas produtoras de toxinas C e D são do grupo III; e o grupo IV é representado por cepas do tipo G4.

O quadro clínico de botulismo, nas suas quatro categorias, é essencialmente o mesmo. Os primeiros sintomas são geralmente náuseas, vômitos, dor abdominal, diarréia e constipação. Os sinais neurológicos se instalam com manifestações de cefaléia, prejuízos visuais como diplopia, pupila dilatada, ptose palpebral, nistagmo, oftalmoplegia, disfagia, disartria, boca, garganta e língua secas, paralisia descendente, fraqueza muscular progressiva, iniciando-se da região cervical estendendo-se aos membros superiores, tórax e membros inferiores, dilatação gástrica, íleo paralisado, retenção urinária, distonia, fatiga generalizada, perda do controle muscular e comprometimento respiratório, sendo essa última a principal causa de óbitos. O indivíduo permanece consciente2-4.

Nos casos de botulismo alimentar, o período de incubação é variável, sendo mais comum entre 12 e 36h2, podendo ser em menor prazo, apresentando-se em apenas 2h, conforme a quantidade e tipo de toxina ingerida. Pode levar a óbito em menos de 24h. Somente uma pequena percentagem de toxina ingerida é absorvida pela mucosa intestinal, sendo o restante eliminado nas fezes. Uma vez absorvida, a toxina é transportada via hematógena até neurônios sensíveis5.

Embora grave, é uma doença pouco diagnosticada pelos profissionais de saúde, o que geralmente leva a um tratamento tardio e ineficaz4. No Brasil, o primeiro caso de botulismo notificado à Secretaria de Vigilância em Saúde ocorreu em 2002; no entanto, desde 1999, a Coordenação de Vigilância das Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar realiza a vigilância dessa doença. O primeiro relato de um surto epidêmico de botulismo no Brasil aconteceu no Estado do Rio Grande do Sul, em 1958, onde nove pessoas morreram após consumir conserva de peixe caseiro3,6. Entre 1999 e 2006, foram notificados 66 casos suspeitos de botulismo, dentre os quais somente 32 foram confirmados, onde 96,8% foram de origem alimentar.

REFERÊNCIAS

1. Centers for Disease Control and Prevention. Botulism in the United States, 1899-1996: handbook for epidemiologists, clinicians, and laboratory workers. Atlanta: Center For Disease Control and Prevention; 1998.         [ Links ]

2. Cardoso T, Costa M, Almeida HC, Guimarães M. Botulismo alimentar: estudo retrospectivo de cinco casos. ACTA Medica Portuguesa 2004;17:54-58         

3. Cereser ND, Costa FMR, Rosii Júnior OD, Silva DAR, Sperotto VR. Botulismo de origem alimentar. Cienc Rural 2008;38:280-287.        ]

4. Figueiredo MAA, Dias J, Lucena R. Considerações acerca de dois casos de botulismo ocorridos no Estado da Bahia. Rev Soc Bras Med Trop 2006;39:289-291.         

5. Ferreira MCS, Domingues RMCP. Clostridium. In: Trabulsi LR, Alterthum F, editores. Microbiologia. 5ª ed. São Paulo: Atheneu; 2004. p. 400-401.         

6. Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Botulismo: orientações para pacientes e familiares [Internet]. [Acesso 20 dez 2009]. Disponível em: http://www.saude.sp.gov.br/resources/cidadao/destaques/botulismo-c/.         

7. Rowlands REG, Ristori CA, Lopes GISL, Paula AMR, Sakuma H, Grigaliunas R, et al. Botulism in Brazil, 2000-2008: epidemiology, clinical findings and laboratorial diagnosis. Rev Inst Med Trop Sao Paulo 2010;52:183-186.        

8. Oliveira MEP, Soares MRAL, Costa MCN, Mota ELA. Avaliação da completitude dos registros de febre tifóide notificados no Sinan pela Bahia. Epidemiol Serv Saude 2009;18:219-226.         

9. Eduardo MBP, Madalosso G, Paiva OR, Brito SN, Araújo EC, Bandeira CRS, et al. Botulismo tipo A e B causado por torta comercial de frango com palmito e ervilhas no Município de São Paulo, SP - Janeiro de 2007. Bol Epi Pal 2007;38:1-7.        

10. Coordenadoria de Controle de Doenças. Centro de Vigilância Epidemiológica "Prof. Alexandre Vranjac". Divisão de Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar. Botulismo e Torta comercial de frango com requeijão. Bol Epi Pal 2006;27:14-19.     

 

 

QUESTÕES - SIGA

 

1. Adulto que apresente paralisia flácida aguda, simétrica e descendente, com preservação do nível de consciência caracterizado por um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: visão turva, diplopia, ptose palpebral, boca seca, disartria, disfagia ou dispneia na ausência de fontes prováveis de toxina botulínica, como alimentos contaminados, ferimentos ou uso de drogas. É a definição de:

 

a) Botulismo alimentar.

b) Botulismo por ferimento.

c) Botulismo intestinal.

d) Botulismo pulmonar.

e) Botulismo neuronal.

 

2. A Hanseníase apresenta uma variedade de manifestações clínicas, que estão relacionadas com as condições imunológicas do paciente. Considere as seguintes afirmativas:

I – Na hanseníase tuberculóide, as lesões cutâneas são constituídas por pápulas ou placas delimitadas, cheias ou com elevação apenas nas bordas. O tom da lesão é eritêmato-acastanhado, o tamanho varia e sua forma pode ser oval ,circular, anular ou figurada. Podem ser únicas ou múltiplas. A esse nível há distúrbios da sensibilidade e da sudorese;

II - Na hanseníase tuberculóide há com freqüência comprometimento de troncos nervosos, bastante intenso, com as conseqüentes alterações sensitivas e motoras. É uma forma não contagiante;

 

III _ Na Hanseníase virchowiana há um polimorfismo de lesões com pápulas, tubérculos, nódulos, placas, ulcerações e infiltração difusa da pele. As lesões têm limites imprecisos e uma tonalidade ferruginosa típica. Quando há uma infiltração acentuada na face, com acentuação dos sulcos naturais e conservação dos cabelos, configura-se o clássico “facies leonina” da Hanseníase. Conclui-se que:

a) Somente as afirmativas I e II estão corretas;

b) Somente as afirmativas I e III estão corretas;

c) Somente as afirmativas II e III estão corretas;

d) Somente afirmativas III está correta;

e) Todas afirmativas estão corretas;

 

3. As cepas de C. botulinum são classificadas em quatro grupos de acordo com o tipo de toxina que produzem. Neste contexto, julgue as seguintes afirmativas, como verdadeiras (V) ou Falsas (F)>

(    )  O grupo I inclui todas as cepas produtoras do tipo A e dos tipos B e F proteolíticas;

(     ) Pertencem ao grupo II todas as cepas com toxina do tipo E e aquelas com os tipos B e F não-proteolíticas;

(     ) Cepas produtoras de toxinas C e D são do grupo III;

(     ) O grupo IV é representado por cepas do tipo G.

a) F, V, V e V.

b) V, V, V e F.

c) V, V, V e V.

d) V, V, F e V.

e) V, F V e V.

 

4. Assinale a opção que completa corretamente a seguintes proposição:

Atualmente, são descritos oito tipos de toxinas botulínicas: A, B, C1, C2, D, E, F e G, que se distinguem por suas características antigênicas. Entre elas, os tipos ___________ e, mais raramente, F são causas de doenças nos seres humanos. O tipo G é pouco conhecido e foi associado a alguns casos de morte súbita.

a) A, B, E.

b) A, C1, C2

c) B, C1, C2.

d) C2, D, E.

e) A, C1, D.

 

5. Considere as seguintes proposições sobre botulismo intestinal:

I - Nas crianças, o aspecto clínico do Botulismo intestinal varia de quadros com constipação leve à síndrome de morte súbita. Manifesta-se, inicialmente, por constipação e irritabilidade, seguidas de sintomas neurológicos, caracterizados por dificuldade de controle dos movimentos da cabeça, sucção fraca, disfagia, choro fraco, hipoatividade e paralisias bilaterais descendentes, que podem progredir para comprometimento respiratório.

II - Casos leves, caracterizados apenas por dificuldade alimentar e fraqueza muscular discreta, têm sido descritos. Em adultos, suspeita-se de Botulismo intestinal na ausência de fontes prováveis de toxina botulínica, tais como alimentos contaminados, ferimentos ou uso de drogas.

III - O Botulismo intestinal tem duração de 2 a 6 meses, com instalação progressiva dos sinais e sintomas por 1 a 2 meses, seguida de recuperação em 3 a 4 meses.

Conclui-se que:

a) Apenas as proposições I e II são verdadeiras.

b) Apenas as proposições I e III são verdadeiras.

c) Apenas as proposições II e III são verdadeiras.

d) Apenas a proposição I é verdadeira.

e) As proposições I, II e III são verdadeiras.

 

6. Considere o diagnóstico diferencial do botulismo e assinale a opção que completa corretamente as lacunas, respectivamente.

O quadro neurológico do botulismo propriamente dito se caracteriza por paralisia flácida aguda motora _________________, associada a comprometimento autonômico disseminado. Os principais sinais e sintomas neurológicos são visão turva, ptose palpebral, diplopia, disfagia, disartria e boca seca. Têm início no território dos nervos cranianos e evoluem no sentido _______________. Essa particularidade distingue o Botulismo da síndrome de Guillain-Barré, que é uma paralisia flácida aguda ___________________. Com a evolução da doença, a fraqueza muscular pode se propagar de forma  ___________________ para os músculos do tronco e membros, o que pode ocasionar dispneia, insuficiência respiratória e tetraplegia flácida.

a) descendente - descendente - ascendente - descendente.

b) ascendente - descendente - ascendente - descendente.

c) descendente - descendente - ascendente - ascendente.

d) ascendente - ascendente - descendente - descendente.

e) descendente - ascendente - ascendente - descendente.

 

7. Criança menor de um ano com paralisia flácida aguda de evolução insidiosa e progressiva que apresente um ou mais dos seguintes sintomas: constipação, sucção fraca, disfagia, choro fraco, dificuldade de controle dos movimentos da cabeça. É a definição de:

 

a) Botulismo alimentar;

b) Botulismo por ferimento.

c) Botulismo intestinal.

d) Botulismo pulmonar.

e) Botulismo neuronal.

 

8. De acordo com as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ? ANVISA, em caso de suspeita de botulismo, a equipe de saúde deve:

 

a) aguardar a confirmação diagnóstica para fazer a notificação compulsória da doença.

b) notificar a doença à Vigilância Epidemiológica local para investigação imediata.

c) realizar a quimioprofilaxia dos comunicantes ativos, em um raio de 500 metros do local do foco.

d) encaminhar material para pesquisa de anatoxina botulínica, por meio de bioensaio.

e) fazer o bloqueio na região de origem do caso, com imunoglobulina.

 

9. Em relação a notificação do botulismo, é incorreto afirmar:

 

a) O Botulismo é doença de noti?cação compulsória e investigação obrigatória desde publicação da Portaria MS n° 1.943, de 18 de outubro de 2001.

b) Devido à gravidade da doença e à possibilidade de ocorrência de outros casos resultantes da ingestão da mesma fonte de alimentos contaminados, um único caso é considerado surto e emergência de saúde pública.

c) A suspeita de um caso de Botulismo exige noti?cação e investigação imediatas à vigilância epidemiológica local.

d) O técnico que receber a noti?cação deve, inicialmente, veri?car a consistência das informações e, uma vez caracterizada a suspeita de Botulismo, comunicar imediatamente aos níveis hierárquicos superiores e áreas envolvidas na investigação, iniciando o planejamento das ações de tratamento, investigação e controle.

e) Não é doença de notificação compulsória nacional. Os profissionais de saúde devem observar as normas e procedimentos de notificação e investigação de estados e municípios.

 

10. Em relação ao agente etiológico do botulismo é incorreto afirmar:

 

a) Clostridium botulinum, bacilo Gram-negativo, aeróbio, esporulado, cuja forma vegetativa produz 8 tipos de toxina (A, B, C1, C2, D, E, F e G).

b) As toxinas patogênicas para o homem são as dos tipos A, B, E e F, sendo as mais frequentes a A e a B.

c) Os esporos do C. botulinum resistem a temperaturas de 120°C por 15 minutos.

d) Estão amplamente distribuídos na natureza, no solo e em sedimentos de lagos e mares.

e) São encontrados em produtos agrícolas como legumes, vegetais, mel, vísceras de crustáceos e no intestino de mamíferos e peixes.

 

11. Em relação ao botulismo, considere as seguintes afirmativas:

I - O Center for Diasease Control and Prevention (CDC) classifica o botulismo em quatro categorias epidemiológicas: 1ª) botulismo por intoxicação alimentar; 2ª) botulismo infantil; 3ª) botulismo por lesão e 4ª) botulismo indeterminado ou por colonização intestinal em adultos.

II - O botulismo por intoxicação alimentar é o menos comum, sendo semelhante ao botulismo infantil, mas atingindo crianças maiores de um ano de idade e adultos.

III - O botulismo alimentar ocorre pela ingestão da toxina pré-formada, enquanto que nos outros três tipos a enfermidade ocorre pela infecção, multiplicação e produção de toxinas por microrganismos clostridiais em feridas ou no trato gastrintestinal.

Conclui-se que:

a) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.

b) Apenas as afirmativas I e III estão corretas.

c) Apenas as afirmativas II e III estão corretas.

d) Apenas a afirmativa I está correta.

e) As afirmativas I, II e III estão corretas.

 

12. Em relação ao botulismo é incorreto afirmar:

 

a) O Botulismo é uma doença contagiosa, resultante da ação de potente enterotoxina.

b) Apresenta-se sob três formas: Botulismo alimentar, Botulismo por ferimentos e Botulismo intestinal.

c) O local de produção da toxina botulínica é diferente em cada uma das formas, porém todas se caracterizam clinicamente por manifestações neurológicas e/ou gastrintestinais.

d) É uma doença de elevada letalidade, considerada como emergência médica e de saúde pública.

e) Para minimizar o risco de morte e sequelas, é essencial que o diagnóstico seja feito rapidamente e o tratamento instituído precocemente por meio das medidas gerais de urgência.

 

13. Em relação ao botulismo, é INCORRETO afirmar que:

 

a) o diagnóstico da doença baseia-se no histórico, sinais clínicos, avaliação do ambiente, necropsias e pesquisa de toxina em camundongos a partir do fígado e conteúdo intestinal de animais suspeitos;

b) o botulismo esporádico (acidental) por contaminação de aguadas ou alimentos tem se tornado extremamente frequente no Brasil.

c) a profilaxia da doença é feita exclusivamente através de bons programas de atenção básica à saúde e uso de preservativos nas relações sexuais.

d) Os principais sinais clínicos são: flacidez muscular, dificuldade respiratória, incapacidade / dificuldade para levantar-se e andar, dificuldade de preensão e mastigação de alimentos, curso bastante variado, podendo ir de poucas horas a muitos dias;

e) A letalidade da doença é próxima de 100% nas pessoas acometidas.

 

14. Em relação ao botulismo, julgue a seguinte sentença:

Embora raros, são descritos casos de Botulismo acidental associados ao uso terapêutico ou estético da toxina botulínica e à manipulação de material contaminado, em laboratório (via inalatória ou contato com a conjuntiva).  

( ) Verdadeiro

( ) Falso

 

15. Em relação ao botulismo, julgue as seguintes sentenças, como Verdadeira ou Falsa:

(    ) O botulismo é uma enfermidade resultante da ação de potente enterotoxina de origem lipoproteica produzida pelo Clostridium botulinum, que bloqueia a neurotransmissão em sinapses colinérgicas, causando paralisia simétrica descendente.

(     )  A doença tem distribuição mundial e acomete pessoas em casos isolados ou causa surtos familiares.

(     ) Não é considerado um problema de saúde pública devido a sua gravidade e baixa letalidade.

(      ) De ocorrência súbita, caracteriza-se por manifestações neurológicas seletivas, de evolução dramática e elevada mortalidade.

a) F, V, F e V.

b) V, F, F e V.

c) V, F, V e F.

d) V, V, F e F.

e) F, F, V e V.

 

16. Em relação ao botulismo por ferimento, considere as seguintes proposições:

I - O quadro clínico é semelhante ao do Botulismo alimentar, entretanto, os sinais e sintomas gastrintestinais não são esperados e pode ocorrer febre decorrente de contaminação secundária do ferimento.

II - O Botulismo por ferimento sempre deve ser considerado nas situações em que se identifica uma fonte alimentar, especialmente em casos isolados da doença.

III - Ferimentos ou cicatrizes nem sempre são encontrados e focos ocultos, como em mucosa nasal, seios da face e pequenos abscessos em locais de injeção, devem ser investigados, especialmente em usuários de drogas.

Conclui-se que:

 

a) Apenas I está correto.

b) Apenas I e II estão corretos.

c) Apenas I e III estão corretos.

d) Apenas II e III estão corretos.

e) I, II e III estão corretos.

 

17. Em relação ao diagnóstico do botulismo, é incorreto afirmar:

 

a) O diagnóstico laboratorial é baseado na análise de amostras clínicas e de amostras bromatológicas (casos de Botulismo alimentar).

b) O diagnóstico laboratorial é baseado no exame bacterioscópico de esfregaço corados pelo método de Gram.

c) Os exames laboratoriais podem ser realizados por várias técnicas, sendo a mais comum a detecção da toxina botulínica por meio de bioensaio em camundongos.

d) Em casos de Botulismo por ferimentos e Botulismo intestinal, realiza-se também o isolamento de C. botulinum por meio de cultura das amostras.

e) Os exames são feitos em laboratório de referência nacional e a seleção de amostras de interesse, oportunas para o diagnóstico laboratorial, varia de acordo com a forma do Botulismo. Em geral, deve-se coletar soro e fezes de todos os casos suspeitos no início da doença.

 

18. Em relação ao diagnóstico laboratorial do botulismo, julgue a seguinte sentença como, Verdadeira (V) ou Falsa (F)

(     ) O diagnóstico laboratorial é feito através de bioensaio em camundongos ou através do cultivo do C. botulinum.

(     ) A cepa do C. botulinum cultivada tem de ser produtora da toxina danosa ao homem, para confirmação diagnóstica.

(     ) No bioensaio, a amostra é inoculada nos camundongos e observa-se a ocorrência de sintomas compatíveis com a doença. 

(     ) A caracterização do tipo de toxina é feita pela inativação com antitoxinas polivalentes e tipo específicos.

(     )  Embora existam métodos mais rápidos de triagem, como o Elisa e o radioimunoensaio, eles não são considerados satisfatórios quanto à sensibilidade e especificidade.

a) V, V, F, V e F.

b) F, V, V, V e F.

c) V, F, F, V e V.

d) V, V, V, V e V.

e) V, V, V, F e F.

 

19. Em relação ao período de incubação do botulismo, julgue a seguinte proposições:

I - No botulismo alimentar pode variar de 2 horas a 10 dias, com média de 12 a 36 horas. Quanto maior a concentração de toxina no alimento ingerido, menor o período de incubação.

 

II – No Botulismo por ferimento pode variar de 4 a 21 dias, com média de 7 dias.

III – No Botulismo intestinal o período não é conhecido devido à impossibilidade de se determinar o momento da ingestão de esporos.

Conclui-se que:

a) Apenas a proposição I é verdadeira.

b) Apenas as proposições I e II são verdadeiras.

c) Apenas as proposições I e III são verdadeiras.

d) Apenas as proposições II e III são verdadeiras.

e) As proposições I, II e III são verdadeiras.

 

20. Em relação ao período de incubação do botulismo julgue a seguintes sentenças.

I - Quando o mecanismo de transmissão envolvido é a ingestão direta de toxina já presente no alimento, o período de incubação é menor e a doença se manifesta mais rapidamente. Quando ocorre a ingestão de esporos ou a contaminação de ferimentos, o período de incubação é maior.

Porque

II - A doença só se inicia após a transformação do C. botulinum da forma esporulada para a vegetat iva, que se multiplica e libera toxina. Períodos de incubação curtos sugerem maior gravidade e maior risco de letalidade. 

a) A asserção I é verdadeira e a razão II justifica I.

b) A asserção I é verdadeira e a razão II não justifica I.

c) A asserção I é falsa e a razão II é verdadeira.

d) A asserção I é verdadeira e a razão II é falsa.

e) A asserção I é falsa e a razão II é falsa.

 

21. Em relação ao quadro clinico do botulismo alimentar, é incorreto afirmar:

 

a) A fraqueza muscular nos membros é tipicamente simétrica, acometendo com maior intensidade os membros superiores.

b) Uma característica importante no quadro clínico é a perda da consciência.

c) Na maioria dos casos, não há comprometimento da sensibilidade, o que auxilia no diagnóstico diferencial com outras doenças neurológicas.

d) Pode apresentar progressão por 1 a 2 semanas e estabilizar-se por mais 2 a 3, antes de iniciar a fase de recuperação.

e) A fase de recuperação tem duração variável, que depende da formação de novas sinapses e restauração da função. Nas formas mais graves, o período de recuperação pode durar de 6 meses a 1 ano, embora os maiores progressos ocorram nos primeiros 3 meses após o início dos sinais e sintomas.

 

22. Em relação ao reservatório do botulismo, julgue a seguinte sentença:

Os esporos do C. botulinum são amplamente distribuídos na natureza, em solos, sedimentos de lagos e mares. São identificados em produtos agrícolas como legumes, vegetais e mel e em intestinos de mamíferos, peixes e vísceras de crustáceos.

( ) Verdadeiro

( ) Falso

 

23. Em relação as complicações do botulismo, julgue a seguinte sentença:

I - Desidratação e pneumonia por aspiração podem ocorrer precocemente, antes mesmo da suspeita de Botulismo ou do primeiro atendimento no serviço de saúde.

PORQUE

II - Infecções respiratórias podem ocorrer em qualquer momento da hospitalização, sendo a longa permanência sob assistência ventilatória e os procedimentos invasivos importantes fatores de risco.

a) A asserção I é verdadeira e a razão II justifica I.

b) A asserção I é verdadeira e a razão II não justifica I.

c) A asserção I é falsa e a razão II é verdadeira.

d) A asserção I é falsa e a razão II é falsa.

e) A asserção I é verdadeira e a razão II é falsa.

 

24. Em relação a transmissão do botulismo intestinal, é incorreto afirmar:

 

a) Ocorre com maior frequência em crianças com idade entre 3 e 26 semanas ? por isso, foi inicialmente denominado como Botulismo infantil.

b) A ausência da microbiota de proteção permite a germinação de esporos e a produção de toxina na luz intestinal.

c) Resulta da ingestão de esporos presentes no alimento, seguida da ?xação e multiplicação do agente no ambiente intestinal, onde ocorre a produção e absorção de toxina.

d) Em adultos, são descritos alguns fatores predisponentes, como cirurgias intestinais, acloridria gástrica, doença de Crohn e/ou uso de antibióticos por tempo prolongado, o que levaria à alteração da ?ora intestinal.

e) As principais portas de entrada para os esporos são úlceras crônicas com tecido necrótico, ?ssuras, esmagamento de membros, ferimentos em áreas profundas mal vascularizadas ou, ainda, aqueles produzidos por agulhas em usuários de drogas injetáveis e lesões nasais ou sinusais em usuários de drogas inalatórias.

 

25. Em relação a transmissão do botulismo, julgue a seguinte sentença:

A transmissão do  botulismo alimentar ocorre por ingestão de toxinas presentes em alimentos previamente contaminados, que são produzidos ou conservados de maneira inadequada. Os alimentos mais comumente envolvidos são conservas vegetais, principalmente as artesanais (palmito, picles, pequi); produtos cárneos cozidos, curados e defumados de forma artesanal (salsicha, presunto, carne frita conservada em gordura – “carne de lata”); pescados defumados, salgados e fermentados; queijos e pasta de queijos e, raramente, em alimentos enlatados industrializados. 

( ) Verdadeiro

( ) Falso

 

26. Em relação a transmissão do botulismo por ferimento, julgue a seguinte sentença:

As principais portas de entrada para os esporos são úlceras crônicas com tecido necrótico, fissuras, esmagamento de membros, ferimentos em áreas profundas mal vascularizadas ou, ainda, aqueles produzidos por agulhas em usuários de drogas injetáveis e lesões nasais ou sinusais em usuários de drogas inalatórias.

( ) Verdadeiro

( ) Falso

 

27. Indivíduo que apresente paralisia flácida aguda, simétrica e descendente, com preservação do nível de consciência caracterizado por um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: visão turva, diplopia, ptose palpebral, boca seca, disartria, disfagia ou dispneia. É a definição de caso de:

 

a) Caso suspeito de Botulismo alimentar.

b) Caso suspeito de Botulismo intestinal.

c) Caso suspeito de Botulismo pulmonar.

d) Caso suspeito de Botulismo neuronal;

e) Caso suspeito de Botulismo pleural.

 

28. No Brasil, o primeiro caso de botulismo notificado à Secretaria de Vigilância em Saúde ocorreu em 2002; no entanto, desde 1999, a Coordenação de Vigilância das Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar realiza a vigilância dessa doença. Neste contexto, julgue as seguintes sentenças, como Verdadeira (V) ou Falsa (F):

(     )  Nos casos de botulismo alimentar, o período de incubação é variável, sendo mais comum entre 12 e 36h, podendo ser em menor prazo, apresentando-se em apenas 2h, conforme a quantidade e tipo de toxina ingerida.

(     ) Apesar da gravidade a doença raramente leva a óbito em menos de 24h.

(     ) Somente uma pequena percentagem de toxina ingerida é absorvida pela mucosa intestinal, sendo o restante eliminado nas fezes.

(     ) Uma vez absorvida, a toxina é transportada via hematógena até neurônios sensíveis.

a) V, F, V e V.

b) F, F, V e V.

c) V, V, V e V.

d) V, F, V e F.

e) V, F, F e V.

 

29. O agente etiológico do botulismo é a bactéria Clostridium botulinum, bacilo Gram-positivo, anaeróbio, esporulado, cuja forma vegetativa produz 8 tipos de toxina (A, B, C1, C2, D, E, F e G). As toxinas patogênicas para o homem são:

 

a) As dos tipos A, B, E e F, sendo as mais frequentes a A e a B.

b) As dos tipos B, C, D e G, sendo as mais frequentes a D e a C.

c) As dos tipos F, G, e H, sendo as mais frequentes a F e a G.

d) As dos tipos C5, F2, G1 e G4, sendo as mais frequentes a G1 e a G4.

e) As dos tipos A1, A2, A4 e C, sendo as mais frequentes a A1 e a A4.

 

30. O botulismo alimentar se caracteriza por instalação súbita e progressiva. Os sinais e sintomas iniciais podem ser gastrintestinais e/ ou neurológicos. Considere as seguintes proposições:

1- As manifestações gastrintestinais mais comuns são: náuseas, vômitos, diarreia e dor abdominal, podendo anteceder ou coincidir com os sinais e sintomas neurológicos.

II - Os primeiros sinais e sintomas neurológicos podem ser inespecíficos, tais como cefaleia, vertigem e tontura. O quadro neurológico propriamente dito se caracteriza por paralisia flácida aguda motora descendente, associada a comprometimento autonômico disseminado.

III - Os principais sinais e sintomas neurológicos são comprometimento respiratório baixo, febre, sudorese noturna, dor pleural, dispneia, tosse produtiva, artralgia, anorexia. Eritema nodoso, polimorfo e reações exantemáticas.

Conclui-se que:

a) Apenas as proposições I e II são corretas.

b) Apenas as proposições I e III são corretas.

c) Apenas as proposições II e III são corretas.

d) Apenas a proposição III está correta.

e) As proposições I, II e III estão corretas.

 

31. O êxito da terapêutica do Botulismo está diretamente relacionado à precocidade com que é iniciada e às condições do local onde será realizada. O tratamento deve ser conduzido em unidade hospitalar que disponha de terapia intensiva (UTI). Neste contexto, é correto afirmar:

 

a) Tratamento de suporte consiste em medidas gerais e monitorização cardiorrespiratória são as condutas mais importantes no tratamento do Botulismo.

b) A Eritromicina (de preferência o estolato) é o antimicrobiano de escolha para o tratamento do Botulismo, por ser mais e?ciente e menos tóxico.

c) O esquema terapêutico de primeira escolha é Anfotericina B, na dose de 1,0mg/kg/dose, IV, não ultrapassar 50mg/dia, durante 6 semanas, com todos os cuidados que envolvem o seu uso.

d) Tratamento de suporte consiste em repouso, manutenção do equilíbrio hidreletrolítico, nebulização, aspiração frequente de secreções.

e) A droga disponível no Brasil é o Benznidazol (comp. 100mg), que deve ser utilizado na dose de 5mg/kg/dia (adultos) e 5-10mg/kg/dia (crianças).

 

32. O êxito da terapêutica do Botulismo está diretamente relacionado à precocidade com que é iniciada e às condições do local onde será realizada. O tratamento deve ser conduzido em unidade hospitalar que disponha de terapia intensiva (UTI). Neste contexto, é correto afirmar:

 

a) Tratamento de suporte consiste em medidas gerais e sedação são as condutas mais importantes no tratamento do Botulismo.

b) Tratamento específico o visa eliminar a toxina circulante e sua fonte de produção, o C.botulinum. Utiliza-se soro antibotulínico (SAB) e antibióticos.

c) A Eritromicina (de preferência o estolato) é o antimicrobiano de escolha para o tratamento do Botulismo, por ser mais e?ciente e menos tóxico.

d) Tratamento de suporte consiste em repouso, manutenção do equilíbrio hidreletrolítico, nebulização, aspiração frequente de secreções.

e) O esquema terapêutico de primeira escolha é Anfotericina B, na dose de 1,0mg/kg/dose, IV, não ultrapassar 50mg/dia, durante 6 semanas, com todos os cuidados que envolvem o seu uso.

 

33. O quadro clínico de botulismo, nas suas quatro categorias, é essencialmente o mesmo. Os primeiros sintomas são geralmente náuseas, vômitos, dor abdominal, diarréia e constipação. Neste contexto, julgue a seguinte sentença como, Verdadeira (V) ou Falsa (F)

Os sinais neurológicos se instalam com manifestações de cefaléia, prejuízos visuais como diplopia, pupila dilatada, ptose palpebral, nistagmo, oftalmoplegia, disfagia, disartria, boca, garganta e língua secas, paralisia descendente, fraqueza muscular progressiva, iniciando-se da região cervical estendendo-se aos membros superiores, tórax e membros inferiores, dilatação gástrica, íleo paralisado, retenção urinária, distonia, fatiga generalizada, perda do controle muscular e comprometimento respiratório, sendo essa última a principal causa de óbitos.

( ) Verdadeiro

( ) Falso

 

34. São doenças menos comuns, mas que também devem ser consideradas no diagnóstico diferencial do botulismo, exceto:

 

a) Doença de Lyme.

b) Neuropatia diftérica e neuropatias tóxicas alimentares.

c) Neuropatia por metais pesados e agentes industriais.

d) Quadros neurológicos e/ou psiquiátricos (meningoencefalites, acidente vascular cerebral, traumatismo cranioencefálico, transtornos conversivos, hipopotassemia, intoxicação por atropina, beladona, metanol, monóx ido de carbono, fenotiazínicos e envenenamento por curare).

e) Toxoplasmose, tuberculose, sífilis, sarcoidose, histoplasmose e linfomas.

 

35. São doenças que apresentam sinais e sintomas semelhantes o botulismo:

 

a) Síndrome de Guillain-Barré, síndrome de Muller-Fisher e miastenia gravis.

b) Febres de origem obscura, endocardite bacteriana, febre tifóide, dentre outras infecções.

c) Tuberculose, meningite tuberculosa, paracoccidioidomicose, esporotricose, histoplasmose e neoplasias.

d) Toxoplasmose, tuberculose, meningoencefalites, sífilis, sarcoidose, histoplasmose e linfomas.

e) Doença de Henoch-Schonlein, do ença de Kawasaki, púrpura auto-imune, farmacodermias e alergias cutâneas

 

36. São objetivos da vigilância epidemiológica do botulismo, exceto:

 

a) Detectar precocemente os casos, visando promover assistência adequada e reduzir a morbidade e letalidade da doença; caracterizar o surto por tempo, lugar e pessoa;

b) Identi?car a fonte de contaminação e modo de transmissão dos casos de Botulismo;

c) Propor medidas de prevenção e controle, em tempo oportuno, para impedir a ocorrência de novos casos; avaliar as medidas de controle implantadas.

d) A partir de casos suspeitos, identi?car as prováveis fontes de contaminação para a adoção das medidas de controle pertinentes.

e) Reduzir a morbimortalidade por meio da articulação com os órgãos responsáveis pelo controle sanitário dos alimentos, alertando a vigilância sanitária para impedir a distribuição e consumo de produtos contaminados

Pub

CONSULTORIA ACADÊMICA: 

Professor e orientador para sua vida acadêmica, que propõe dar suporte didático-pedagógico e orientações para que você almeje seus objetivos, de forma prática e rápida.

Existe duas maneiras de chegar a algum lugar. Uma de forma aleatória, com tentativas de acertos e erros; e, outra, orientada e supervisionada por alguém que conhece o caminho das pedras.